Wednesday, February 15, 2012

Capitalismo para Totós V - Propriedade privada

Propriedade privada - o engodo maior do sistema capitalista. A existência e abrangência da propriedade privada no sistema capitalista é tendencialmente nula. Na verdade, ao contrário do que ventilam os meios de propaganda do sistema, o capitalismo não favorece a aquisição de propriedade privada, antes a sua concentração.

Isto significa que a propriedade privada em regime capitalista tende a concentrar-se em cada vez menos entidades/pessoas. Em última análise, o regime gera constrangimentos ao alargamento da propriedade privada, não potencia a aquisição de propriedade privada para satisfação das necessidades da população (do indivíduo ou do colectivo) mas favorece, isso sim, a espoliação da pequena e média propriedade privada e a sua concentração, gerando cada vez menos entidades proprietárias, mas sendo cada uma dessas entidades, cada vez mais monopolista.

Em suma, o regime capitalista não é o regime da propriedade privada para todos. É o regime da concentração da propriedade privada nas mãos de alguns. O desenvolvimento do sistema capitalista é inexoravelmente conducente à constituição de monopólios cada vez maiores e, como consequência, tendencialmente, de cada vez menos monopólios.

Esta regra inerente à natureza do sistema capitalista não se aplica somente aos meios de produção (fábricas, maquinaria, lojas, transportes, ferramenta, etc.) mas também aos bens e produtos (habitação, veículos, e até bens de consumo).

2 comments:

RS said...

Olá Miguel

Há muito tempo que ando para escrever algo sobre isto no meu blogue, mas sem encontrar as palavras, simples mas absolutamente esclarecedoras, que usas.

Acrescentaria apenas a ideia de que, na sociedade actual, a única coisa de que temos "posse" é dos nossos direitos.

Sou proprietário de uma série de direitos sociais que (ainda) têm um valor imenso na minha vida, e na vida da minha família, e da classe social a que pertenço, e dos trabalhadores como um todo.

Por isso me agarro a eles com a força com que um burguês se agarra à propriedade que detém.

Não sei se concordas.

MA said...

Esta série de posts tem sido muito boa. Simples e esclarecedores.